A mudança não é visível a olho nu, mas a famosa torre inclinada de Pisa, em Itália, está menos torta do que já esteve ao longo de séculos. Após um trabalho que durou 12 anos, aquela que é uma das mais famosas atrações turísticas do mundo comemora o resultado de um projeto de reconstrução monumental. O resultado é que a famosa torre de mármore branco está agora 2,54 centímetros menos torta. No total, foram gastos 40 milhões de dólares (quase 30 milhões de euros) para salvar a torre do que era considerado «um desastre iminente».

O diretor técnico do monumento disse à CBS News que agora a torre poderá permanecer em pé de forma estável «por um longo período de tempo» sem correr o risco de cair. «Não haverá necessidade de nova intervenção nos próximos 200 ou 250 anos», afirmou Giuseppe Bentivoglio.

O nome «Pisa» data de cerca de 600 anos antes de Cristo e, em grego, significa «terra pantanosa». A denominação explica o facto de a torre, construída a partir do ano 1.173, ter começado a inclinar-se para um dos lados assim que a obra começou.

A construção demorou 177 anos para ser concluída por causa de interrupções provocadas por guerras e a fundação tem apenas três metros de profundidade. Em 1.272, a obra foi retomada e as paredes de um dos lados foram aumentadas para compensar a inclinação, o que fez com que a torre entortasse para o outro lado.

O projeto de engenharia para corrigir a inclinação na última década envolveu a aplicação de cabos de aço e de enormes pesos de chumbo para fazer contrapeso. Agora, a relva e a calçada cobrem o complexo trabalho realizado no solo para evitar o pior.

A torre, de 56,4 metros de altura (no lado mais alto), pesa 14,5 mil toneladas e é classificada como uma das sete maravilhas modernas do mundo. Mais de 500 mil pessoas por ano costumam visitá-la e subir os degraus de pedra em forma de espiral até o topo, sem desconfiar que a torre se move o tempo todo.