O Tribunal Constitucional da Tailândia forçou esta quarta-feira a saída da primeira-ministra Yingluck Shinawatra ao considerar que esta violou a Constituição do País abusando da sua posição na nomeação de um alto funcionário.

Os magistrados decidiram que a nomeação do Secretário-Geral do Conselho de Segurança Nacional, Thawil Pliensri, em 2011, foi ¿inconstitucional¿ por ter sido tomada para favorecer a promoção de familiares e filiados ao partido do Governo.

Yingluck Shinawatra é a irmã mais nova do antigo chefe do Governo Thaksin Shinawatra, no exílio, depois de ter sido deposto num golpe militar em 2006, ter sido acusado, julgado e condenado à revelia por abuso de poder e corrupção.