Os tribunais gregos concluíram esta segunda-feira que o antigo ministro de Defesa da Grécia Akis Tsohatzopoulos é culpado de lavagem de dinheiro num processo de seis milhões de euros, que se tornou emblemático da cultura de corrupção política.

Fundador do partido socialista - PASOK e uma das principais figuras da política grega nas últimas três décadas, Tsohatzopoulos foi ministro da Defesa entre 1996 e 2001 e foi acusado pelos tribunais de ter recebido «luvas» durante a compra de veículos armados, quatro submarinos e de mísseis russos quando esteve no Ministério.

«Foram tantos subornos que ele próprio não consegue calcular o montante que recebeu», disse a procuradora Georgia Adilini, acrescentando que as verbas eram recebidas em «malas, sacos, cheques, contas bancárias e negócios».

O tribunal sentenciou também mais 16 pessoas por cumplicidade, tendo absolvido outras duas, mas não decretou ainda a sentença para Tsohatzopoulos, que é a primeira figura política nos últimos anos a enfrentar a justiça com acusações de lavagem de dinheiro.

O antigo ministro tornou-se, segundo a AFP, um símbolo da corrupção política na Grécia, que está numa crise económica desde 2010 e debaixo de um programa de assistência financeira, e está em prisão preventiva há um ano, numa prisão de alta segurança nos subúrbios de Atenas.