O Governo de Nicarágua decretou segunda-feira «alerta vermelho extremo» perante a possibilidade de um maior terramoto a qualquer momento.

«Estamos a falar de um alerta vermelho extremo a nível nacional, que permite a preparação para toda a população para eventos ainda maiores», disse a primeira-dama e coordenadora do Concelho de Comunicação e Cidadania, Rosario Murillo.

Entre quinta e segunda-feira foram sentidos três fortes terramotos que provocaram dois mortos, dezenas de feridos e centenas de desalojados em Nicaráugua.

O alerta vermelho decretado para Manágua e León foi estendido a todo o território nicaraguense na tarde de ontem.

Os três fortes terramotos tiveram magnitude superior a 5.6 na escala de Richter, sentidos na quinta, sexta e domingo passados.

O sistema Nacional para a Prevenção, Mitigação e Atenção aos Desastres (Sinapred), que reúne todas as instituições relacionadas com situações de emergência, preparou-se a nível nacional para uma catástrofe de grandes proporções.

A população foi aconselhada a passar a noite em áreas verdes, algumas centenas de pessoas foram transferidas para abrigos, tendas hospitalares, foram colocados carros de emergência em pontos estratégicos para transferir feridos e doentes hospitalizados de uma forma mais rápida e eficaz.

Em 1972 um terramoto de magnitude 6,2 na escala de Richter devastou Manágua provocando 10.000 mortos.