A Alta Representante da União Europeia, Catherine Ashton, disse hoje que os ministros dos Negócios Estrangeiros europeus convergiram na defesa de uma resposta «clara e forte» ao uso de armas químicas na Síria.

As afirmações de Catherine Ashton foram proferidas numa conferência de imprensa conjunta com o ministro dos Negócios Estrangeiros lituano, no final da reunião informal dos chefes da diplomacia europeia, em Vilnius, Lituânia.

Ashton, que leu uma declaração conjunta dos ministros dos Negócios Estrangeiros europeus, classificou o ataque químico como «um ataque horrível» e «um crime contra a Humanidade», sublinhando que todos os países são unânimes na condenação.

A chefe da diplomacia da União Europeia disse ainda esperar que o relatório dos peritos das Nações Unidas seja conhecido o mais rapidamente possível e congratulou-se com as declarações do Presidente francês, François Hollande, que afirmou que aguardará por estas conclusões antes de participar numa eventual operação militar.

A britânica referiu que as provas de ter havido um ataque químico «são muito fortes» e advertiu que o Conselho de Segurança das Nações Unidas tem de «assumir as suas responsabilidades».

«A União Europeia exorta as Nações Unidas a unir esforços de forma a evitar que novos ataques deste tipo aconteçam e espera que o Conselho de Segurança assuma as suas responsabilidades», declarou.

Ashton reafirmou ainda o compromisso dos 28 no apoio aos refugiados e ao povo sírio na reabilitação daquele país.

O secretário de Estado norte-americano congratulou-se com esta posição dos ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia contra os ataques químicos na Síria e pelo seu apoio à responsabilização do regime de Bashar Al-Assad.

«Estamos muito satisfeitos com a declaração final dos ministros europeus sobre a Síria, uma posição forte que faz um apelo à responsabilização. Estou particularmente satisfeito com o apoio dos ministros europeus aos esforços à responsabilização do regime de Assad pelo que fez», afirmou John Kerry, numa declaração sem direito a perguntas, no final de um encontro bilateral com o ministro dos Negócios Estrangeiros da Lituânia, em Vilnius.

O responsável pela diplomacia dos Estados Unidos da América esteve presente hoje de manhã na reunião informal dos ministros dos Negócios Estrangeiros da União Europeia, tendo agendadas visitas a Paris (hoje à tarde) e a Londres.