Portugal recebeu cerca de 500 pedidos de asilo em 2013, tendo aceitado apenas 135 e sendo a esmagadora maioria oriundos de cidadãos da Síria, Guiné-Bissau e Nigéria, revela o Eurostat.

Segundo um boletim do gabinete de estatísticas comunitário, no ano passado, a União Europeia registou um forte aumento no número de pedidos de asilo, 435 mil, com 90% dos processos a provirem de novos requisitantes.

Mais de um terço das decisões foram positivas, refere o Eurostat, mas 65% das decisões de primeira instância foram rejeitadas.

Cerca de um quarto do total dos requerimentos surgiram de cidadãos da Síria e da Rússia (12% e 10% do total, respetivamente), e a Alemanha (29%), França (15%), Suécia (13%), Reino Unido (7%) e Itália (6%) foram os países mais procurados.

O Afeganistão (26 mil, 6%), a Sérvia (22 mil, 5%), o Paquistão (21 mil, 5%) e o Kosovo (20 mil, 5%) completam a lista dos países com mais pedidos feitos a Estados-membros da União Europeia.

Portugal recebeu cerca de 500 pedidos de asilo, com a Síria (145) a ser o país com mais pedidos, à frente da Guiné-Bissau (80) e da Nigéria (35).

Das 305 decisões tomadas em primeira instância em Portugal, 135 dos pedidos foram aceites (20 com estatuto de refugiado e 115 com proteção subsidiária) e 170 foram rejeitados.