Cerca de 5.000 pessoas são mortas mensalmente na Síria devido ao agravamento do conflito, afirmou hoje o subsecretário-geral da ONU Ivan Simanovic numa reunião no Conselho de Segurança.

«A taxa extremamente elevada de mortes atualmente - aproximadamente 5.000 pessoas por mês - demonstra a drástica deterioração do conflito», afirmou Simanovic na reunião, consagrada ao conflito.

Por outro lado, a crise de refugiados da Síria é a pior desde o genocídio no Ruanda, com quase 1,8 milhões de pessoas registadas nos países vizinhos, segundo o Alto Representante da ONU para os Refugiados, António Guterres, também presente na reunião.