O primeiro-ministro russo, Dmitry Medvedev, considerou que o Presidente ucraniano deposto, Viktor Ianukovych é ainda ao legítimo chefe de Estado do país, mesmo que a sua autoridade seja «insignificante».

Medvedev acrescentou que a Rússia não reconhece as novas autoridades que tomaram o poder em Kiev após o derrube de Viktor Ianukovych e sublinhou que o novo poder não respeitou a Constituição do país.

Num post no Facebook, o chefe do Governo russo não comentou a aprovação no parlamento do país da proposta do Presidente Vladimir Putin para enviar tropas para a a Crimeia.

China e Rússia com largo entendimento sobre Ucrânia

A China e a Rússia possuem um largo entendimento sobre a situação na Ucrânia, anunciou o ministro russo dos Negócios Estrangeiros após conversar ao telefone com o seu homólogo chinês.

Os ministros dos Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, e da China, Wang Yi, observaram pontos de vista «amplamente coincidentes sobre a situação que se desenvolveu no país (Ucrânia) e em volta dela» revela um comunicado do Ministério russo dos Negócios Estrangeiros.

G7 condena Rússia

Os dirigentes dos países do G7 condenaram a «clara violação» da soberania da Ucrânia por Moscovo e anunciaram a suspensão dos seus preparativos para a cimeira do G8, prevista para Sochi (Rússia) em junho.

O congelamento permanecerá em vigor «até que o ambiente se torne favorável a discussões significativas no G8», precisam estes países (Alemanha, Canadá, Estados Unidos, França, Itália, Japão e Reino Unido), e ainda os dirigentes da União Europeia (UE), em comunicado difundido pela Casa Branca.

A tensão entre a Ucrânia e a Rússia agravou-se na última semana, após a queda do ex-Presidente Ianukovich, por causa da Crimeia, península do sul do país onde se fala russo e está localizada a frota da Rússia do Mar Negro.