A transcrição de uma conversa divulgada neste domingo vem demonstrar que viveram-se momentos de confusão e indecisão quando a embarcação que veio a naufragar na Coreia do Sul começou a ficar perigosamente inclinada.

Alguma indecisão na evacuação do ferry pode ter levado ao aumento do número total de mortos. Neste momento estão contabilizados 58 vítimas mortais, mas há ainda 244 pessoas desaparecidas, a maioria são crianças.

O capitão demorou 40 minutos a decidir a evacuação da embarcação «Sewol», o que dificultou o resgate. O capitão Lee Joon-seok, de 69 anos, pediu ajuda por rádio ao serviço de emergência às 8:55 (hora local) quando o ferry estava inclinado, segundo a transcrição divulgada pelas autoridades sul-coreanas.

Durante os 40 minutos seguintes, o capitão contactou 11 vezes a torre de controle, mas foi só depois das 9:30, e já com o ferry com uma inclinação de 45 graus, que ordenou aos passageiros irem para o exterior da embarcação.

De acordo com a agência Reuters, os investigadores que apuram o que levou ao naufrágio da passada quarta-feira disseram neste domingo que pretendem uma extensão do prazo de detenção do capitão e de dois membros da tripulação, de forma a terem tempo para determinar a causa do acidente.

O ferry transportava 476 pessoas a bordo, entre passageiros e tripulação, incluindo 339 crianças e professores. A embarcação demorou duas horas a afundar-se, mas foi dito aos passageiros para ficarem nas suas cabines.

A TRANSCRIÇÃO



Controlador: «Por favor venha cá para fora e deixe os passageiros vestirem os coletes salva-vidas e mais roupa.»

Membro da tripulação: «Se este ferry retirar os passageiros, você consegue resgatá-los?»

Controlador: «Pelo menos deixe-os usar boias de salvação e deixe-os escapar».

Membro da tripulação: «Se este ferry retirar os passageiros, serão imediatamente resgatados?»

Controlador: Não os deixe ir sem nada. Pelo menos obrigue-os a usar os coletes salva-vidas e a abandonar [a embarcação]. O capitão deve tomar a decisão final e decidir se vai retirar os passageiros ou não».

Membro da tripulação: «Não estou a falar sobre isso. Perguntei se forem retirados agora, podem ser resgatados de imediato?».



De acordo com a transcrição da conversa ocorrida às 9:25 horas da manhã, o capitão da embarcação Lee Joon-seo ainda não tinha decidido se seria melhor proceder à retirada dos passageiros e foi-lhe dito que «teria de tomar a decisão final de evacuação ou não».

Lee não estava ao comando do ferry quando este virou. Quem estava ao comando era um jovem de 26 anos, que pela primeira vez estava ao comando da viagem, segundo membros da tripulação citados pela agência Reuters.

A transcrição vem demonstrar preocupação por haver poucos botes de salvamento na embarcação. E face a isto, testemunhas dizem que o capitão e alguns membros da tripulação usaram as balsas salva-vidas antes dos passageiros.

De acordo com o investigador Yang Joong-jin, em conferência de imprensa em Mokpo, um dos centros da investigação, alguns membros da tripulação confessaram não ter recebido treino para salvamento. «Estamos a tentar descobrir se houve negligência adicional», disse Yang Joong-jin.