A Presidência síria negou este domingo as afirmações que foram atribuídas ao Presidente da Síria durante uma reunião com deputados russos, nas quais afirma que não tem intenção de deixar o poder.

«O que a agência de notícias russa Interfax publicou como declarações do Presidente Bashar al-Assad está errado», disse o serviço de imprensa da Presidência síria, em comunicado, sem explicar que parte das declarações estava errada ou mal traduzida.

O Presidente da Síria, Bashar al-Assad, foi citado este domingo como dizendo que se tivesse um plano para se demitir, já o tinha executado, e acrescentou que só o povo sírio é que tem o poder de determinar o futuro do país.

O presidente da Coligação Nacional Síria, Ahmad Jarba, afirmou este sábado em Istambul, Turquia, que a oposição irá à conferência de Paz de Genebra, na Suíça, com o único objetivo de «se livrar» do presidente Bachar al-Assad.

«As negociações de Genebra têm como único propósito atender às exigências da revolução e antes de mais nada retirar ao talhante [Assad] todos os seus poderes», disse Ahmad Jarba, depois de a Coligação Nacional Síria anunciar a sua participação na conferência que arranca na quarta-feira na Suíça.

A Coligação Nacional Síria, reunida em Istambul desde sexta-feira, decidiu participar na conferência de paz Genebra II, agendada para a próxima semana em Montreux (Suíça) para tentar encontrar uma solução negociada para o conflito na Síria.

A participação da oposição síria no exílio no encontro internacional foi aprovada com 58 votos a favor, 14 contra, duas abstenções e um voto em branco, referiu um comunicado divulgado em Istambul.