Duas jovens membros das Pussy Riot foram detidas pela polícia, esta terça-feira, em Sochi, segundo informaram as ativistas pelo Twitter. Algumas horas depois as jovens acabaram por ser libertadas.

Maria Alyokhina e Nadezhda Tolokonnikova foram detidas na sequência da suspeita de terem cometido um crime, mas no imediato não foram dados mais pormenores. No Twiiter, Alyokhina divulgou alguns imagens já dentro da carrinha de detenção e adianta que foram agredidas, apesar de não terem resistido.

Em Sochi, na Rússia, decorrem atualmente os Jogos Olímpicos de Inverno.





Tolokonnikova, também pelo Twitter, informou as duas e outras cinco pessoas foram detidas como suspeitas de roubo. Fontes do Ministério do Interior citadas pelo portal «Lifenews» disseram que as duas Pussy Riot foram detidas por transgredir a norma administrativa que obriga todas as pessoas a registar-se quando chegam a Sochi num prazo de 24 horas.

As duas jovens passaram quase dois anos presas depois de terem sido condenadas por vandalismo ao protestarem na catedral de Cristo Salvador, em Moscovo, e pedirem a saída do presidente da Rússia, Vladimir Putin, do poder.

Segundo Tolokonnikova, esta é terceira vez que as duas são presas nas últimas 48 horas, pois tinham sido detidas durante algumas horas ontem e anteontem. As ativistas foram para Sochi com o objetivo de gravar um filme musical e apresentar a canção «Putin te ensinará a amar a pátria».

Notícia atualizada