O vídeo registado por um telemóvel e publicado no Youtube mostra uma confusão de mãos e cabeças e puxões de cabelos. Há três protagonistas no vídeo. Um professor tenta separar duas raparigas que estão a lutar e acaba por ser vítima também.

O momento captado em vídeo e divulgado na News4 serve de prova às queixas de insegurança que os professores já tinham denunciado num inquérito anónimo no mês passado: dos 95 professores, 48 não se sentiam seguros naquela escola.

Kevin Coady, o professore agredido, foi um dos que deu a cara na altura numa entrevista, a confirmar as dificuldades que existem naquela escola secundária de Bennett. Há nove anos a dar aulas naquele liceu, o professor com 30 anos de serviço não desiste dos seus alunos, mas reconhece os problemas.

Coady acabou por ser «salvo» por outro colega, depois de ter levado um soco no queixo.

A associação de professores de Bufallo, nos Estados Unidos, reconhece que é difícil aos professores não se envolverem quando vêem alunos a brigarem, mas deixou uma indicação logo no ano letivo aos professores daquela escola para que não o fizessem.

A associação também pediu à polícia segurança para aquela escola, onde muitos alunos não vão às aulas, preferindo vaguear pelos corredores.

«É horrível», conclui a associação de professores.

Depois de tantos anos a dar aulas, o professor pondera não regressar ao liceu de Bennett.