A poluição atmosférica causou a morte a sete milhões de pessoas no mundo, em 2012, quantificou a Organização Mundial de Saúde (OMS), que considerou urgente a tomada de medidas para reduzir as emissões tóxicas, causadoras de doenças mortais.

«A poluição do ar tornou-se o principal risco ambiental para a saúde no mundo», afirmou Maria Neira, diretora do Departamento de Saúde Pública da OMS, durante uma conferência de imprensa, realizada esta segunda-feira em Genebra, para apresentar um estudo desta entidade internacional.

Os sete milhões de mortes em 2012 representam 12,5% dos falecimentos nesse ano, uma morte em cada oito.

Os resultados do estudo, incidente sobre 2012, mostram que «os riscos devidos à poluição do ar são mais importantes do que se pensava, em particular no que respeita às cardiopatias e aos acidentes vasculares cerebrais, poucos riscos têm um impacto superior sobre a saúde na hora atual como a poluição atmosférica (...) e é preciso uma ação concertada para tornar mais limpo o ar que respiramos», acrescentou.