O parlamento ucraniano destituiu, este sábado, o presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovich, por «abandono das suas funções constitucionais» e convocou eleições presidenciais antecipadas para o dia 25 de maio, noticia a Reuters.

Anteriormente, Yanukovich disse que não ter intenção de se demitir nem de abandonar o país, tendo classificado de «ilegítimo» o parlamento ucraniano.

«Não estou a deixar o país para qualquer lugar. Não pretendo renunciar ao cargo. Sou o presidente legitimamente eleito», disse Viktor Ianukovich, durante um discurso emitido numa televisão local de Kharkiv, no leste da Ucrânia. Ianukovich considerou «ilegítimas» as recentes leis aprovadas pelo parlamento ucraniano, nas quais se inclui a decisão de libertar a líder da oposição Iulia Timochenko.

líder da oposição Iulia Tymoshenko libertada

A crise política na Ucrânia iniciou-se há três meses, depois de Ianukovich suspender os preparativos para um acordo com a União Europeia, e agravou-se em finais de janeiro, quando se registaram as primeiras mortes, com a aprovação de leis limitando a liberdade de manifestação.