O Papa Francisco nomeou o secretário pessoal, Alfred Xuereb, delegado das duas comissões para as atividades económicas do Vaticano e reforma do Instituto para as Obras Religiosas (IOR), para vigiar e informar sobre os trabalhos.

O gabinete de imprensa do Vaticano divulgou esta quinta-feira a nomeação e explicou que as novas funções do maltês Xuereb são a de «vigiar e manter informado» o Papa, «em colaboração com a Secretaria de Estado», sobre como decorrem os trabalhos das comissões e possíveis iniciativas a tomar.

Desta forma, o Papa argentino volta a mostrar interesse em acompanhar ativamente as reformas que pretende concretizar no âmbito das atividades económicas do Vaticano.

O diretor do gabinete de imprensa do Vaticano, padre Federico Lombardi, lembrou que Xuereb é, como secretário pessoal do Papa, «a pessoa que serve sempre de veículo para as informações que o Papa quer transmitir».

«Esta é uma fase em que as comissões estão a trabalhar intensamente e produzem os frutos que serão depois submetidos ao conselho de cardeais. É um trabalho intenso e por isso foi considerado útil contar com uma pessoa que possa refletir sobre as atividades destas comissões», afirmou Lombardi.

Na prática, o objetivo foi «dar um cargo institucional à pessoa que vai recolher estas informações e garantir as comunicações necessárias», explicou.

O objetivo da primeira destas comissões é estudar e reformar a organização da estrutura económica vaticana. É presidida pelo assessor para os Assuntos Gerais da Secretaria de Estado, Bryan Peter Wells, integrando o subsecretário para as Relações com os Estados, Antoine Camilleri, o secretário da Prefeitura para os Assuntos Económicos do Vaticano, Lucio Angel Vallejo Balda (também membro da comissão para a Reforma da Administração Económica), e Rene Bruelhart, diretor da Autoridade de Informação Financeira (AIF).

A segunda é a comissão para reformar o controverso Instituto para as Obras Religiosas (IOR), o chamado banco do Vaticano.

A entidade é presidida pelo cardeal italiano Raffaele Farina e conta Juan Ignacio Arrieta Ochoa de Chinchetru, na coordenação, pelo cardeal francês Jean-Louis Pierre Tauran, a professora norte-americana Mary Ann Glendon e Peter Bryan Wells, secretário.