O Papa Francisco acredita que tem apenas «mais dois ou três anos» de vida e não descarta retirar-se do cargo antes.

Questionado sobre a sua popularidade, durante o voo de regresso ao Vaticano, depois de uma visita de cinco dias à Coreia do Sul, a resposta sincera do Sumo Pontífice surpreendeu.

«Vejo isto como uma generosidade do povo de Deus. Eu tento pensar nos meus pecados, nos meus erros, para não ficar orgulhoso. Porque sei que vai durar pouco tempo. Mais dois ou três anos e depois irei para a "casa do pai"», disse aos jornalistas, citado pela AFP.

Fonte do Vaticano confirmou que Francisco informou as pessoas mais próximas que pensa ter pouco tempo de vida.

Os jornalistas presentes no avião papal quiseram então saber se é possível o argentino de 77 anos retirar-se do cargo em caso de sentir que não consegue cumprir as suas obrigações como Papa.

Francisco admitiu essa possibilidade, «mesmo que isso não agrade a alguns teólogos». «Bento XVI abriu uma porta», confessou, referindo-se ao antecessor.

Sobre o seu estado de saúde, o Papa contou que já teve «alguns problemas nos nervos» e que necessitou de tratamento. «Tenho de dar mate aos meus nervos todos os dias», brincou, aludindo à tradicional bebida argentina.