Os pais de James Foley revelaram, esta terça-feira, o nome do «mensageiro» da carta do filho.

Daniel Rye Ottosen, fotojornalista dinamarquês, de 25 anos, passou treze meses em cativeiro com Foley, foi o responsável por memorizar a carta do jornalista norte-americano.

«Quando divulgámos a última carta do Jim, não publicámos o nome do ex-refém que memorizou a carta por que não tínhamos recebido a autorização dele. Agora que temos essa autorização podemos agradecer em público a Daniel Rye Ottosen do fundo do nosso coração», pode ler-se no Facebook criado em memória do jornalista.

No email que o fotojornalista dinamarquês enviou aos pais de James Foley, este confessa que «James tinha um talento natural para ser o irmão mais velho».

«Eu nunca tive um irmão, por isso James foi como um irmão para mim», escreve Ottosen, acrescentando que lhes ter entregado a sua última mensagem foi «o melhor que podia fazer».

Acreditando que James Foley «está num lugar com paz», Ottosen afirma que os pais do jornalista «só podem estar orgulhosos» do filho: «ele era muito especial».