Oito pessoas foram detidas esta segunda-feira em Madrid, Espanha, pelas autoridades numa operação de desmantelamento de uma rede internacional de captação e envio de jihadistas para a rede internacional terrorista do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL).

De acordo com uma nota do Ministério do Interior de Espanha enviado à agência Efe, a polícia lançou a operação às 04:30 locais (03:30 em Lisboa) tendo sido já efetuados 12 ações.

A mesma nota destaca que o principal líder da célula residia em Espanha depois da sua passagem na base militar de Guantanamo, na ilha de Cuba, tendo sido detido no Afeganistão em 2001.

Notícias que surgem na semana em que a Espanha vive momentos históricos sem precedentes com a abdicação de Juan Carlos e a primeira promulgação de um rei em democracia, Felipe VI, que assume a chefia de Estado do país na quinta-feira.

Até ao juramento, numa sessão solene conjunta das duas câmaras das Cortes Gerais Espanholas - Congresso de Deputados e Senado -, ultimam-se os preparativos para as cerimónias que dominam toda a atenção no país.

Nesta semana, Juan Carlos assinará a sua própria abdicação, haverá um desfile do novo rei e rainha e também várias manifestações a exigirem mudanças no modelo de Estado e um referendo sobre a monarquia.

O Presidente norte-americano, Barack Obama, telefonou ao rei Juan Carlos de Espanha para o felicitar pelo seu «histórico» reinado, antecipando-se à coroação.

O Presidente agradeceu ao rei a «promoção permanente» da democracia em Espanha e o seu compromisso com o desenvolvimento de «fortes relações transatlânticas», indicou a Casa Branca.

Ambos reafirmaram os «fortes laços» de amizade entre os Estados Unidos e Espanha que «continuam a aprofundar-se», acrescentou a residência presidencial.