Uma nova lei na China diz que filhos adultos são obrigados a visitar os pais ou podem ser multados e até mesmo ir para a prisão.

A lei, integrada nos «Direitos dos Idosos» da China, tenta resolver o problema do abandono e da solidão na velhice, obrigando os filhos adultos a visitar os pais, refere a BBC.

Vários são os que se questionam quanto à possibilidade desta lei vingar, uma vez que não refere qualquer calendário ou frequência de visitas aos pais.

Zhang Yan Feng, advogado nos escritórios King & Capital em Pequim, diz que a lei funciona como uma mensagem «de educação» para o público. «Se um caso é posto em tribunal com base nesta lei, muito provavelmente acabará em acordo. Mas, se não houver um acordo falado, o tribunal pode forçar a pessoa a visitar os pais», diz o advogado, acrescentando que, «se a pessoa desobedecer, pode ser punida e mesmo detida».

Contudo, são poucos os que temem acabar atrás das grades. «O que é considerado frequentemente?», perguntou um jovem num site da internet. Um outro chinês referiu que «todos sabemos cuidar dos nossos pais, mas às vezes estamos muito ocupados a tentar ter uma vida e a pressão é imensa».

De acordo com estatísticas do governo chinês, mais de 178 milhões de pessoas tinham 60 ou mais anos em 2010, esperando-se que em 2030 o número seja o dobro.

Os media do país têm revelado algumas histórias de maus-tratos a idosos. Os chineses ficaram chocados quando uma idosa de 91 anos foi agredida e obrigada a sair de casa por ter pedido uma taça com arroz à nora.

Ainda assim, a nova lei não foi bem aceite por muitos dos chineses, tendo um deles argumentado num site que «os laços familiares devem ser baseados em emoções espontâneas» e não forçadas.