O Instituto Pasteur francês disse, esta terça-feira, que uma nova bactéria, detetada nos sacos de fluido usados por um hospital dos Alpes para alimentar bebés por via intravenosa, poderá ser responsável pela morte de três recém-nascidos.

De acordo com a agência France-Presse (AFP), a descoberta foi divulgada depois de os pais dos três recém-nascidos terem apresentado queixa contra a unidade de saúde por homicídio involuntário. Os três bebés morreram no hospital da cidade de Chambery, no Sudeste de França, em dias distintos do início do mês de dezembro de 2013.

As análises feitas aos sacos utilizados para alimentar os bebés enquanto estavam nos cuidados intensivos neonatais revelaram que todos continham a dita bactéria, «desconhecida até agora e que ainda não tem nome», explicou Jean-Claude Manuguerra, do Instituto Pasteur.

A ministra francesa da Saúde, Marisol Touraine, adiantou que seis dos dez sacos analisados revelaram a presença de «um único e semelhante germe de origem ambiental», sem fornecer mais detalhes sobre «o local ou o meio de contaminação».

Na sequência da morte dos três bebés, foram retirados de circulação 137 sacos utilizados para alimentar recém-nascidos, produzidos pelo laboratório francês Marette e distribuídos por sete hospitais.