O novo serviço da companhia de caminhos-de-ferro tailandesa é uma resposta a um caso de violação e assassinato de uma adolescente de 13 anos, num compartimento-cama de uma composição com destino a Banguecoque.



O responsável pela violação, de 22 anos, era empregado da companhia ferroviária, e o facto de ter admitido outras violações, por parte de dois colegas, levou a empresa a rever os critérios de admissão do pessoal e a tomar medidas para evitar situações semelhantes.

Para garantir a segurança das passageiras, os comboios noturnos de longa distância vão ter vagões apenas para mulheres e crianças com menos de dez anos e com altura inferior a um metro e cinquenta.

Os sinais estão visíveis nas carruagens. Nestas composições não entra álcool, não entram homens, e até os funcionários são do sexo feminino. Uma medida extrema num país marcado por muitos casos de violações. Só no último ano foram registados pelas autoridades mais de 31 mil casos de violência sexual.