O navio australiano integrado nas buscas pelo avião da Malaysia Airlines vai colocar em funcionamento «tão depressa quanto possível» o submarino teleguiado, revelou hoje o líder da equipa de buscas, Angus Houston.

«O navio Ocean Shield vai concluir as pesquisas com o localizador de sinais das caixas negras e implantar o submarino Bluefin-21 tão depressa quanto possível», disse o mesmo responsável.

Angus Houston confirmou também ter sido detetada na zona de buscas uma mancha de óleo que, no entanto, carece de ser analisada para se confirmar a sua origem.

As equipas de resgate prosseguem hoje com as buscas do avião malaio desaparecido no oceano Índico a 8 de março apesar de não captarem eventuais sinais acústicos das caixas negras há vários dias, revelou o centro de coordenação das buscas.

A zona de rastreio desta segunda-feira integra uma área de 47.644 quilómetros quadrados no sul do oceano Índico, 9.862 quilómetros quadrados a menos que no domingo, numa zona a cerca de 2.200 quilómetros a nordeste de Perth, a capital do estado da Austrália Ocidental, onde está localizado o centro de coordenação das operações.

Um total de 11 aviões militares, um civil, e 15 navios participam nos trabalhos de reconhecimento na zona com alguma agitação marítima e visibilidade entre três a cinco quilómetros.