Morreu o inventor da metralhadora automática Kalashnikov, a arma que mais gente matou em todo o mundo, segundo refere a agência Reuters. O russo Mikhail Kalashnikov morreu nesta segunda-feira na cidade de Izhevsk, onde ainda hoje se fabricam estas armas. Tinha 94 anos.

A AK-47 (que significa Automática Kalashnikov patenteada em 1947) é uma das armas mais imitadas em todo o mundo. Surgiu em 1947 depois de Mikhail Kalashnikov ter participado na Segunda Guerra Mundial. Dois anos depois a arma foi adotada pelo exército da então União Soviética. Atualmente continuam a ser usadas pelo exército e polícia russa.

Filho de agricultores da Sibéria, Mikhail Kalashnikov nunca terminou a escolaridade. Em 2009, quando completou 90 anos, foi agraciado com medalha de honra no Kremlin. Na altura, o criador da arma disse que sentia dor ao ver que estavam a ser usadas por criminosos e crianças soldado.

O som dos seus disparos foi ouvido nos quatro cantos do mundo, responsável por milhares de mortes, entre anónimos e famosos. Em 1973, o presidente chileno morreu com uma AK-47 na mão - um presente do líder cubano Fidel Castro - num golpe de estado do general Augusto Pinochet. Bin Laden, líder morto da organização terrorista Al Qaeda, posou para uma fotografia ao lado de uma Kalashnikov.