A «heroína» da revolução cubana, Melba Hernández, uma das duas mulheres que acompanhou Fidel Castro no ataque ao Quartel da Moncada em 1953, morreu no domingo, em Havana, aos 92 anos.

«Com profunda dor, a direção do Partido Comunista e o Estado informam a nosso povo que a Heroína do Moncada, Melba Hernández Rodríguez, faleceu na noite de domingo, 9 de março, em consequência de complicações associadas à diabetes».

Advogada de profissão, Hernández e Haydée Santamaría foram as primeiras mulheres a juntar-se ao movimento liderado por Fidel Castro contra a ditadura de Fulgêncio Batista (1952-1959) e participaram em 26 de julho de 1953 no ataque ao Quartel da Moncada de Santiago de Cuba, a primeira ação armada da revolução cubana.

Capturada depois do ataque ter fracassado e libertada em fevereiro de 1954, Melba teve um papel decisivo na organização das notas que Fidel escrevia na prisão.

Depois do triunfo da revolução em 1959, Hernández fez parte dos fundadores do Partido Comunista de Cuba e desempenhou diversas tarefas, como deputada e embaixadora.

O seu corpo será cremado e as cinzas levadas para o cemitério de Santa Ifigénia, em Santiago de Cuba, para serem depositadas junto aos restos mortais de seus companheiros de guerrilha, como era seu desejo, escreve a agência France Presse.