Os dois portugueses que ainda estavam sequestrados em Moçambique, um homem e uma mulher, foram libertados esta noite, confirmou o secretário de Estado das Comunidades, José Cesário.

O homem tinha sido sequestrado há duas semanas e a mulher, uma gestora financeira de 40 anos, na terça-feira (5 de novembro).

Cronologia dos sequestros que têm sucedido no país, segundo dados recolhidos pela Lusa e por meios de comunicação social moçambicana:

2011

26 de junho: Rapto de um dos donos dos Armazéns Atlântico. Escapou do cativeiro antes de ser pago o resgate, de cerca de um milhão de dólares.

01 de dezembro: Raptado um dos proprietários da ferragem Somofer, quando fazia exercício físico no Circuito de Manutenção António Repinga, em Maputo.

05 de dezembro: Primeiro caso de rapto de uma mulher, que pagou um resgate de cerca de 800 mil euros.

2012

28 de janeiro: Segundo rapto de uma mulher.

30 de janeiro: Tio e sobrinho raptados no cemitério de Lhanguene Libertados a 09 de fevereiro, alegadamente contra o pagamento de dois milhões de dólares americanos.

09 de fevereiro: Raptada mulher de 75 anos, familiar de um dos proprietários do grupo Africom, Sasseka e Delta Trading. Abandonada pelos raptores numa avenida da capital.

11 de fevereiro: Tentativa de rapto do dono da Auto Hilux.

26 de fevereiro: Rapto de um cidadão português, na praia do Bilene, a 150 quilómetros de Maputo (caso não registado pelas autoridades consulares)

30 de abril: Tentativa de rapto de duas mulheres.

19 de maio: Raptado o proprietário da Incopal e dos Armazéns Machava, na Matola.

27 de junho: Raptado um empresário, que esteve em cativeiro cerca de um mês.

10 de agosto: Tentativa de rapto do proprietário do Tiger Centre, por elementos vestidos com uniforme da Polícia.

23 de agosto: Raptada rapariga com 17 anos, por um resgate de cinco milhões de dólares americanos. Ao fim de cinco dias, ela foi libertada sem pagamento de resgate.

20 de dezembro: Homem raptado e libertado contra o pagamento de cerca de 100 mil euros.

2013

16 de julho: Empresário português raptado no interior da sua empresa, no porto de Maputo.

15 de agosto: Libertado empresário português que tinha sido raptado em julho.

24 de setembro: Filho de um quadro dos petróleos raptado a caminho da escola.



08 de outubro: Raptadas duas crianças, uma, na Matola, e outra, em Maputo.

22 de outubro: Dois raptos: uma mulher, à porta da Escola Portuguesa, em Maputo, e um homem, numa avenida no centro da cidade.

23 de outubro: Rapaz português raptado no bairro da Coop, centro de Maputo.

24 de outubro: Raptadas duas mulheres em Maputo.

28 de outubro: Uma criança de 13 anos, raptada na Beira é morta, depois de a família ter avisado a polícia; primeira condenação de uma quadrilha de raptores, pelo Tribunal Judicial da Cidade de Maputo. Seis réus condenados a 16 anos de prisão efetiva e duas absolvições.

Outubro/novembro: Raptado homem português em Maputo. (A data precisa não é conhecida)

05 de novembro: Uma portuguesa raptada na Matola no interior da empresa onde trabalha; uma moçambicana raptada nos arredores, no interior da sua residência; uma criança de três anos raptada em Maputo.

07 de novembro: Libertado adolescente português raptado a 23 de outubro; libertada a criança de três anos raptada a 05/11/2013.

09 de novembro: Libertados os dois portugueses que ainda estavam sequestrados.