A ministra Comunicação e Informação da Venezuela, Delcy Rodríguez, anunciou, esta quinta-feira, que pediu uma investigação ao diário «El Aragueño», por alegada conspiração através de «mensagens cifradas» nas palavras cruzadas do jornal.

«O diário El Aragueño envia mensagens cifradas vinculadas à conspiração e à violência nas suas palavras cruzadas! Solicitámos uma investigação», escreveu a ministra na sua conta na rede social Twitter.

A ministra não avançou mais dados sobre a alegada conspiração nem sobre o estado da investigação.

O El Aragueño é um diário privado sediado na cidade de Maracay, Estado de Arágua, 100 quilómetros a oeste de Caracas.

Em 2012, o diário venezuelano Últimas Notícias também foi acusado de alegada conspiração, nas palavras cruzadas, com o objetivo de assassinar o político Adán Chávez, irmão do falecido presidente socialista Hugo Chávez.

Em causa estavam palavras como «rajada», «assassinem» e «Adán (Adão)» que foram «descobertas» por um jornalista do canal estatal Venezuelana de Televisão.

Desde há mês e meio que em várias regiões da Venezuela, se registam diariamente protestos contra a insegurança, a escassez de produtos, contra a repressão policial e pela libertação de presos políticos.

Promovidos pacificamente, estes protestos têm desencadeado situações de violência que já ocasionaram pelo menos 35 mortos e elevados danos materiais.

Nos últimos tempos o Governo venezuelano tem insistido que está em curso um «golpe de Estado continuado» contra o Presidente Nicolás Maduro.