Peritos forenses identificaram a primeira das 298 pessoas que morreram, quando o voo MH17 da Malaysia Airlines foi abatido, na semana passada, na Ucrânia, anunciou este sábado o Governo holandês.

A vítima em causa é um cidadão holandês, cuja família foi informada, tal como o presidente do município onde vivia, precisou o ministro holandês da Justiça, numa declaração, sem revelar a identidade da pessoa em causa.

A declaração adianta que o trabalho de identificação dos corpos, a cargo de uma equipa de 200 especialistas, pode «demorar meses».

A Holanda, de onde é natural a maioria das vítimas, ficou encarregada de identificar todos os corpos.

A 17 de julho, o voo MH17 da Malaysia Airlines, que ligava Amesterdão a Kuala Lumpu, foi abatido quando sobrevoava território ucraniano controlado pelos rebeldes. Das 298 pessoas que seguiam a bordo, 193 eram holandeses.

Alguns dos cadáveres continuam no local da tragédia, mas 227 caixões com os restos mortais de pessoas de 17 nacionalidades seguiram para a Holanda, para identificação.