Os peritos holandeses e australianos chegaram esta quinta-feira ao local da queda do avião da Malaysia Airlines, no leste da Ucrânia, onde os combates impediam esta deslocação, anunciou a Organização de Segurança e Cooperação da Europa (OSCE).

«Os observadores da missão da OSCE chegaram ao local do acidente do MH17 pela primeira vez na última semana, acompanhados por quatro peritos holandeses e australianos», indicou a organização na rede social Twitter, acrescentando terem feito um itinerário diferente ao de dias anteriores.

A OSCE tem como missão facilitar o trabalho dos investigadores da queda do Boeing malaio, abatido por um míssil numa zona controlada pelos separatistas pró-russos, causando 298 mortos a 17 de julho.

Parlamento recusa demissão do primeiro-ministro

O parlamento ucraniano recusou hoje a demissão apresentada na semana passada pelo primeiro-ministro, Arseni Iatseniuk, cujo Governo prosseguirá apesar do rompimento da coligação parlamentar que o suportava.

«Hoje há duas notícias na economia mundial. A primeira é que a Argentina anunciou a suspensão de pagamentos. A segunda é que a Ucrânia não o fez nem nunca fará», disse Iatseniuk, após a votação dos deputados, que deram um forte apoio ao seu Governo, numa moção de confiança.

Apenas 16 dos eleitos votaram a favor da demissão do primeiro-ministro, depois de o Presidente ucraniano, Petro Porochenko, ter apelado ao parlamento que recusasse a decisão tomada a quente por Iatseniuk.