Barack Obama afirmou, esta quinta-feira, que a queda do avião da Malásia, na fronteira da Ucrânia, é uma «terrível tragédia» e que os EUA vão oferecer toda a assistência para ajudar a determinar o que aconteceu e por quê.

Também Joe Biden falou com Poroshenko e ofereceu-lhe toda a ajuda norte-americana para ajudar a perceber o que aconteceu com o avião malaio.

Biden considera que o desastre de hoje não foi um acidente, mas um ataque.

O avião foi destruído «não foi um acidente, foi destruído nos céus».

Segundo a Reuters, o presidente dos EUA afirmou que as autoridades estão a investigar se estavam ou não cidadãos norte-americanos a bordo do avião.

No entanto, de acordo com o Ministro do Interior da Ucrânia, o número de mortos inclui 23 cidadãos norte-americanos.

«Mais de 300 pessoas inocentes morreram... sabe-se que 23 cidadãos norte-americanos morreram», afirmou Zoryan Shkyryak.

O presidente norte-americano já conversou com o presidente ucraniano, Petro Poroshenko, e pediu para que o local do desastre seja mantido intacto até à chegada de uma equipa internacional de investigadores, para que sejam analisados «todos os aspetos da tragédia», segundo informações da agência Reuters.

«O presidente Poroshenko agradece a assistência internacional para assegurar uma investigação transparente do local do desastre. O presidente Obama assegurou que os especialistas norte-americanos vão oferecer a sua ajuda imediatamente», afirmou fonte da Casa Branca.

Barack Obama também falou com o primeiro-ministro da Malásia, que já garantiu que uma equipa de investigadores vai ser enviada para o local, para que se chegue a uma conclusão sobre o que aconteceu, e os responsáveis pela tragédia sejam levados à justiça.