A chanceler alemã, Angela Merkel, insistiu, esta quarta-feira, que os ucranianos que se manifestam em defesa dos valores europeus devem «ser ouvidos».

A chanceler, que discursava perante o Parlamento, elogiou as «corajosas manifestações» contra o Governo da Ucrânia, que em novembro suspendeu os preparativos para um acordo com a União Europeia.

«Muitas pessoas mostraram, com as corajosas manifestações, (...) que não querem virar as costas à União Europeia. Pelo contrário, elas batem-se pelos mesmos valores que nos animam na UE e devem ser ouvidas», afirmou Merkel na Bundestag (câmara baixa do parlamento alemão).

«A pressão das manifestações tornou possível negociações sérias e transparentes entre o Governo e a oposição sobre as reformas políticas necessárias», acrescentou.

O Parlamento ucraniano está desde terça-feira reunido em sessão extraordinária para encontrar uma saída para o movimento de contestação que abala a Ucrânia há mais de dois meses e que escalou para violentos confrontos em meados de janeiro.

Na terça-feira, os deputados aprovaram a anulação da legislação limitando o direito à manifestação, cuja adoção, a 16 de janeiro, contribuiu para a radicalização da contestação.