O primeiro-ministro russo diz que a legitimação de Oleksander Turchinov como presidente interino da Ucrânia, inclusive por parte das instâncias internacionais, é uma «aberração» e que receia pela segurança dos cidadãos da Rússia naquele país.

Presidente ucraniano acusado de homicídio em massa

«Não compreendemos o que se passa na Ucrânia. Há uma ameaça real aos nossos interesses e às vidas dos nossos cidadãos», afirmou Dmitry Medvedev, citado pelas agências russas, nesta segunda-feira.

«Existem grandes dúvidas sobre a legitimidade de vários órgãos de poder na Ucrânia [após a expulsão do Presidente Viktor Yanukovich], e que estão em pleno funcionamento», criticou o governante russo.

A Rússia, através do ministro dos Negócios Estrangeiros, diz mesmo que «métodos ditatoriais e por vezes terroristas» estão a ser usados para pressionar os dissidentes em algumas regiões da Ucrânia.