Há imagens que valem mais do que palavras. Margo tem uma história que vale a pena contar para além da fotografia.

O fotógrafo Lee Jeffries dedica-se a fotografar sem-abrigo pelo mundo fora. Fotografias cruas e duras de gente que conta e com histórias muito diferentes para contar.

Lee Jeffries encontrou Margo Stevens em Miami, num dos bairros mais perigosos daquela cidade americana.

Margo, que começou como stripper em Cleveland e ascendeu a estrela de filmes porno tornou-se sem-abrigo, suja, decadente, mas é uma pessoa linda como o fotógrafo relatou ao «Huffington Post».

Durante duas semanas, permaneceu em Overtown e conheceu a beleza interior desta mulher.

Foi precisamente a beleza que a traiu. Estrela de filmes adultos na década de 90, teve dinheiro para tudo e fez tudo o que queria da vida. Mas, a idade não perdoou. Perdeu o mercado dos filmes e perdeu tudo. Mudou-se para Miami, para a rua.

A dureza do traço que a fotografia de Jeffries não esconde, revela também a estrela que continua a ser.

Margo divide uma minúscula garagem abandonada com mais quatro ou cinco pessoas. Mulheres, viciadas em heroína e que vem o corpo pela droga e pela sobrevivência.

Margo não é, no entanto, mais uma. Ela toma conta daquelas pessoas com o carinho de uma mãe.

Longe dos palcos e dos cabarés, das luzes e da ribalta, Margo Stevens continua a brilhar.