Os investigadores do misterioso desaparecimento do voo MH 370 da Malaysia Airlines suspeitam que o Boeing 777 cumpriu uma missão suicida, escreve o jornal britânico «The Telegraph». Apesar de todas as hipóteses ainda estarem, em aberto, esta é aquela que melhor se adequa às circunstâncias.

Apesar de terem sido detetados destroços e o primeiro-ministro da Malásia já ter confirmado que o «avião se despenhou no oceano índico e que não há sobreviventes», o que realmente aconteceu naquela madrugada está longe de ter resposta.

Segundo avança o «The Telegraph», que cita fontes próximas da investigação, os especialistas não acreditam que uma avaria ou incêndio a bordo possa ter causado a sequência de eventos já conhecidos como, por exemplo, a mudança de rumo, a desativação dos sistemas de comunicação ou sete horas de voo sobre o mar em completo silêncio.

Quando analisam a rota que ao avião fez, os sinais captados e a desativação dos sistemas de comunicação, os investigadores concluem que este «voou de forma racional». Uma fonte oficial afirmou ao jornal britânico, que os investigadores acreditam mesmo que «esta foi uma ação deliberada realizada por alguém a bordo, com conhecimentos e capacidades para o fazer». No entanto, admitem «que os motivos são desconhecidos».

Quanto à possibilidade de avaria ou incêndio a bordo, a mesma fonte considera que «as informações não batem certo» com essas possibilidades. «Eles (investigadores) cumpriram as oito horas de voo que o avião fez enquanto esteve no ar... E concluíram que o Boeing foi comandado de forma racional».

Esta terça-feira, as buscas foram suspensas devido ao mau tempo, mas o primeiro-ministro australiano, Tony Abbott, disse que o caso do avião da Malaysia Airlines MH370 entra agora na fase de recuperação e investigação. Em declarações aos jornalistas, sublinhou tratar-se de um trabalho muito difícil, mas garantiu toda a ajuda, apoio e cooperação possíveis por parte da Austrália.

Apesar dos destroços do Boeing 777 da Malaysia Airlines terem sido «avistados» ao fim de 17 dias, ainda não há uma confirmação oficial de que foram encontrados. Na verdade, o mistério continua longe de ter uma explicação. É essencial encontrar a caixa negra do avião. Só os registos da caixa negra poderão fazer luz sobre o mistério que envolve o caso---