A publicação da autobiografia de uma conhecida empresária britânica do sexo trouxe a público uma amizade «real». Emma Sayle, fundadora do exclusivo «Killing Kittens» e conhecida como a «rainha das orgias», foi amiga e confidente de Kate Middleton, duquesa de Cambridge.

Em «Por detrás da máscara», Emma Sayle, de 36 anos, casada com um medalhista olímpico e à espera do primeiro filho, revela que foi amiga e confidente de Kate no seleto Down House School, em Berkshire, Inglaterra, um colégio interno para raparigas dos 11 aos 18 anos.

Com a publicação do livro vieram a público fotos de Emma e Kate a remar juntas ou à saída de compras.

Emma apressou-se, no entanto, a esclarecer que a irmandade de Sloaney, para a qual recrutou a duquesa de Cambridge, não era mais que um clube desportivo e que só muito mais tarde surgiu a ideia de um clube de sexo.

«Nenhum membro da Casa Real participou nas nossas festas sexuais, ao contrário de vários atores e atrizes famosos», garantiu a fundadora.

«Mas já tivemos um deputado do Partido Trabalhista [inglês], que passou o tempo todo de cuecas e de gatas, com uma mulher a passeá-lo com uma trela», revelou.

A ideia para o negócio da sua vida ocorreu-lhe durante uma despedida de solteira em Ibiza, Espanha, em 2005. Emma Sayle estava aborrecida com o trabalho de Relações Públicas e prendeu a atenção sobre um grupo de mulheres, algumas ricas e famosas, enquanto os homens assistiam passivamente. De imediato lhe veio um nome à cabeça: «Killing Kittens», na tradução literal, «gatinhas assassinas». «Que melhor nome para um clube que reivindica a busca pelo prazer feminino?», questionou-se.

Nas festas da «KK» o anonimato é obrigatório e todos os participantes têm de usar máscara ou mascarilha. Uma vez na festa há três regras de ouro: só as mulheres têm chicote, os homens não podem tomar a iniciativa e um «não» é um «não».