Julian Assange vai continuar foragido. Um tribunal sueco decidiu manter o mandado de detenção do fundador da Wikileaks.

Os advogados de Assange tinham pedido a suspensão do mandado mas o tribunal de Estocolmo votou contra nesta quarta-feira.

A justiça sueca quer ouvir o famoso australiano acusado de ofensas sexuais a duas mulheres.

Assange garante estar inocente e encontra-se refugiado há dois anos na embaixada do Equador, em Londres, para evitar ser extraditado para a suécia e depois para os estados unidos.

Washington quer julgá-lo pela maior revelação de informações secretas da história norte-americana.

O governo do Equador concedeu asilo político a Assange, mas o Reino Unido não está disposto a deixá-lo viajar para Quito.

A embaixada equatoriana está sob vigilância da polícia britânica e o australiano poderá deterá ser detido se sair do edifício.