O exército israelita matou a tiro um jovem palestiniano de 14 anos em confrontos na Faixa de Gaza durante raides efetuados nas buscas pelos três jovens israelitas desaparecidos, revelaram fontes médicas.

Exército israelita já prendeu quase 200 palestinianos depois de rapto

As fontes, citadas pela agência AFP sustentam que o jovem foi morto em Dura, na cidade de Hebron, que tem sido o principal foco da ação israelita.

A segurança palestiniana identificou o rapaz morto como Mohammed Dudin.

«Enquanto os nossos jovens estiverem sequestrados, (o movimento islamita) Hamás vai sentir-se perseguido, paralisado e ameaçado», disse o coronel Peter Lerner, porta-voz do exército israelita num comunicado anteriormente divulgado.

O Governo português condenou fortemente, em comunicado que a Lusa cita, o desaparecimento de três jovens israelitas, que terão sido raptados na Cisjordânia, considerando que a violência «prejudica o esforço» para a paz entre Israel e Palestina.

Os três jovens desapareceram quinta-feira à noite na área do seu colonato na Cisjordânia ocupada, perto da cidade de Hebron. Voltavam da escola religiosa e aparentemente apanharam uma boleia. Um deles ainda conseguiu ligar para o número de emergência e dizer «fomos raptados».

O governo judaico já não tem dúvidas sobre quem raptou os três adolescentes israelitas.

Netanyahu garantiu que Israel agirá contra os raptores, e os seus financiadores e apoiantes terroristas. O chefe do governo israelita também considera o presidente da autoridade palestiniana responsável pelo que possa acontecer aos três jovens raptados.