Os militares israelitas mataram sexta-feira um adolescente palestiniano e feriram gravemente um jovem na Cisjordânia, onde continuam a procurar, perante uma resistência crescente da população, três estudantes religiosos judeus raptados.

O exército israelita anunciou ter detido cerca de 330 suspeitos, dos quais 240 são membros do Hamas, movimento islamita acusado do rapto de 12 de junho, que ainda não foi objeto de qualquer reivindicação considerada credível.

Nas suas operações de busca, o exército israelita já procurou em 1.150 edifícios na Cisjordânia ocupada.