O Presidente norte-americano, Barack Obama, reuniu na noite de segunda-feira o seu Conselho de Segurança Nacional (NSC) para estudar as diversas de respostas à crise iraquiana como ataques aéreos com ¿drones¿ para deter o avanço dos jihadistas.

«Esta noite, após regressar da Califórnia à Casa Branca, o Presidente reuniu com o seu Conselho de Segurança Nacional para abordar a situação no Iraque. O Presidente vai continuar as consultas com a equipa nos próximos dias», assinalou a Casa Branca num comunicado divulgado após a reunião.

Barack Obama tinha descartado recentemente a possibilidade de enviar tropas para um combate direto no Iraque, o grupo jihadista do Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) já controla várias zonas no norte do país, entre elas Mosul, a segunda cidade mais importante do Iraque, e ameaça avançar até Bagdade.

O Presidente dos EUA, Barack Obama, anunciou na segunda-feira que vai enviar 275 militares para o Iraque, para ajudar a proteger cidadãos norte-americanos e proteger a embaixada em Bagdade, em carta dirigida aos líderes congressistas.

A força, que começou a ser deslocada no domingo, foi criada «com o propósito de proteger cidadãos e propriedade dos EUA e está equipada para combater», escreveu Obama no texto.

«Esta força vai continuar no Iraque até que a situação de segurança deixe de a requerer», especificou.