Forças rebeldes pró-russas avançaram no leste da Ucrânia, apoiados por tanques e veículos blindados russos. Há registo de confrontos com tropas governamentais em pelo menos duas frentes, adianta a CNN, citando um oficial militar ucraniano.

«É uma invasão em larga escala», adianta a mesma fonte.

Várias fontes oficiais ucranianas estão a garantir que a Rússia está a enviar tropas e equipamentos para ajudar os rebeldes pró-Moscovo , mas o governo de Putin continua a negar que esteja a equipar ou a apoiar as forças rebeldes na Ucrânia.

Há notícias de confrontos a acontecerem a sudeste de Donetsk e na cidade de Novoazovsk, na costa sul do país, a partir da fronteira com a Rússia. Os rebeldes ameaçam também a cidade estratégica de Mariupol.

Conselheira de Putin fala em «invasão»

Um repórter da Reuters garante ter visto, esta quinta-feira, uma coluna de veículos blindados e soldados russos perto de uma aldeia russa a três quilómetros da fronteira com a Ucrânia.

Um outro repórter da Reuters garante ter visto um helicóptero com uma estrela vermelha parado junto a uma espécie de quartel de tropas que não conseguiu identificar.

Hollande: «é intolerável e inaceitável» tropas russas atuarem na Ucrânia

Uma conselheira do presidente russo Vladimir Putin para os direitos humanos classifica as movimentações russas na Ucrânia como uma invasão. «Quando grandes grupos de pessoas, sob ordens de comando, em tanques e usando armamento pesado, estão no território de outro país, cruzando a fronteira, considero isso uma invasão», disse Ella Polyakova, em declarações à Reuters.

Presidente ucraniano cancela visita à Turquia

O presidente ucraniano Petro Poroshenko cancelou, esta quinta-feira uma viagem oficial à Turquia, por causa das incursões russas na Ucrânia. Tendo em conta a situação sobretudo em Donetsk, Poroshenko considerou que o seu lugar era em Kiev.

«Decidi cancelar a minha visita de trabalho à República da Turquia por causa do acentuado agravamento da situação na região de Donetsk, uma vez que as tropas russas entraram efetivamente na Ucrânia», disse Poroshenko, num comunicado citado pela BBC.

Secretário-geral da NATO defende envio de tropas

Petro Poroshenko anunciou ainda que vai convocar o Conselho de Segurança ucraniano para discutir o assunto.