O incêndio que consome a cidade portuária chilena de Valparaíso já causou 12 mortos e obrigou à retirada de mais de 10.000 residentes, de acordo com o último balanço.

Numa anterior contabilização, as autoridades apontaram para a morte de 16 pessoas, mas atualizaram a informação para 12. Há também registo de vários feridos por inalação de fumo.

Cerca de 1200 bombeiros combatem as chamas que já destruíram centenas de casas desde sábado.

A presidente do Chile, Michelle Bachelet, colocou nas mãos do exército a evacuação da cidade, situada a 170 quilómetros da capital Santiago, depois de declarar o estado de calamidade.

As forças de segurança permanecem igualmente nas ruas para garantir a ordem e evitar as pilhagens.

As autoridades temem que o incêndio se propague ao centro da cidade, que é património da Unesco, e tem muitos edifícios antigos, mais vulneráveis às chamas, admitiu o governador regional Ricardo Bravo.

Neste momento, os fortes ventos vindos do Pacífico estão a dificultar o combate às chamas.

Algumas zonas de Valparaíso permanecem sem eletricidade.