A organização não governamental Human rights Watch revela esta quinta-feira um novo relatório sobre a situação na Síria, com imagens de satélite que revelam a destruição de «milhares de casas».

O regime sírio tem destruído, de «forma deliberada», milhares de casas em damasco e Hamas, nos anos de 2012 e 2013.

Com recurso às imagens de satélite, a Human Rights Watch mostra o desaparecimento de tecido urbano em momentos diferentes.

O relatório de 38 páginas com o título «Razed to the Ground: Syria¿s Unlawful Neighborhood Demolitions in 2012-2013» (Deitado a baixo: as demolições ilegais de barros sírios em 2012-2013), revela sete casos de demolição em larga escala, com recurso a bulldozers e explosivos.

Bairros residenciais destruídos como «punição».

«Deitar a baixo bairros inteiros não é uma tática legítima de guerra», refere a ONG. «Este é o último de uma longa lista de crimes cometidos pelo regime sírio».

A Human Rights Watch apela à ONU que faça queixa do regime sírio no Tribunal Penal Internacional e que o governo de Bashar al-Assda, no decurso das negociações de paz que estão a ter lugar em Genebra e à luz da lei internacional, deve acabar já com as demolições e proporcionar alojamento provisório para as vítimas.

A situação humanitária na Síria vai-se degradando à medida que o tempo de guerra se alastra no tempo. A BBC da conta de que há sírios que estão a «comer erva» para sobreviver.

«Se não morrermos dos bombardeamentos, morremos de fome e frio», disse um residente de Homs à BBC.

Os estados Unidos fizeram esta quinta-feira um ultimato em Varsóvia a Assad, para que entregue as armas químicas com vista à sua destruição ou o processo volta à estaca zero, como relata a Reuters.