«Não acho que ele tenha mudado de opinião sobre a guerra. Acho que tem sido bastante consistente. Estava perto quando, em 2002, Obama fez o agora famoso discurso (não foi assim tão famoso na altura) opondo-se à intervenção americana no Iraque. E ele disse, na altura, que temia que viessem ao de cima as forças extremistas e a violência sectária e que se tornasse um foco de extremismo. E foi exatamente isso que aconteceu. E ainda estamos a lidar com os estilhaços desse erro. Ao mesmo tempo, ele apoiou a noção de que temos que ir atrás dos terroristas que atacaram os EUA no 11 de Setembro e sentiu que o Iraque iria ser uma distração a esse foco»

DAVID AXELROD























Germano Almeida é jornalista do Maisfutebol, autor dos livros «Histórias da Casa Branca» e «Por Dentro da Reeleição» e do blogue «Casa Branca»