O Hamas reconheceu nesta quinta-feira que executou vários palestinianos suspeitos de terem ajudado as forças israelitas durante a guerra na Faixa de Gaza.

«Os espiões foram executados depois de terem sido apanhados, sozinhos, a prestar informações sobre o paradeiro da resistência ou interrompendo o trabalho desta, desarmando as emboscadas preparadas contra o inimigo», refere o site pró-Hamas denominado «Al-Majd», citado pela agência Reuters.

Esta declaração foi feita por um membro não identificado do grupo islâmico armado, que não precisou quantos palestinianos foram mortos por espionagem.

Fontes oficiais de Gaza indicam que a ofensiva israelita provocou a morte a pelo menos 1.874 palestinianos, a maioria destes civis. Do lado de Israel, 64 soldados e três civis perderam a vida desde 8 de julho.