O Governo português desconhece, por enquanto, se existiam portugueses a bordo do avião da Malaysia Airlines que se despenhou esta quinta-feira no leste da Ucrânia com 295 pessoas a bordo, disse o secretário de Estado das Comunidades.

«A Direção Geral dos Assuntos Consulares está a fazer todas as diligências possíveis no sentido de saber se há portugueses ou lusodescendentes entre os passageiros do avião», afirmou José Cesário à agência Lusa.

O governante referiu ainda que este caso está a ser alvo de averiguações e que a empresa aérea não está a divulgar informações.

O Boeing 777 da Malaysia Airlines fazia a ligação entre Amesterdão e Kuala Lumpur e desapareceu dos radares da Ucrânia a uma altitude de 10.000 metros, segundo fontes policiais ucranianas citadas pela agência noticiosa russa Interfax.

O aparelho perdeu a comunicação com terra na região oriental de Donetsk, perto da cidade de Shaktarsk, e palco de combates entre forças governamentais ucranianas e rebeldes federalistas pró-russos.

A notícia da queda do aparelho foi já abordada entre o presidente russo Vladimir Putin e o chefe de Estado norte-americano, Barack Obama.

«O Presidente russo informou o Presidente dos Estados Unidos de informações de controladores aéreos que tinham chegado momentos antes da conversação telefónica e que indicavam que o avião se tinha despenhado na Ucrânia», disse o Kremlin através de comunicado.

As linhas aéreas malaias já confirmaram que o aparelho que se despenhou, mas sem indicar as razões, segundo um comunicado do conselho de administração da empresa citado pela AFP.