O líder do Hamas, Khaled Mechaal, anunciou esta quarta-feira que o movimento rejeita o cessar-fogo com Israel na Faixa de Gaza, por este não prever o levantamento do bloqueio imposto ao enclave palestiniano.

O Hamas reconhece que estava disposto a aceitar as tréguas por questões humanitárias, mas com condições.

«Rejeitamos hoje e vamos rejeitar no futuro» a proposta de um cessar-fogo antes da realização de negociações sobre as reivindicações do Hamas, nomeadamente o levantamento do bloqueio, disse Mechall, numa conferência de imprensa em Doha, no Qatar.

Também hoje, o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas (UNHRC, na sigla em inglês) anunciou que vai fazer uma investigação relativamente aos alegados crimes de guerra cometidos por Israel na ofensiva militar sobre Gaza.

No fim da reunião de emergência para discutir o conflito na Faixa de Gaza, os 47 estados-membros decidiram adotar a resolução que tinha sido pedida pelos palestinianos, com 29 votos a favor, 17 abstenções e um voto contra, dos Estados Unidos.

Mais de 600 pessoas foram vítimas de ataques nos últimos dias, incluindo crianças.