Em New Orleans, nos Estados Unidos, os mortos assistem aos seus funerais de forma pouco tradicional: não estão deitados num caixão mas em poses encenadas que refletem caraterísticas da sua personalidade. Esta é a nova moda que ao longo do mês de Junho tem conquistado um grande número de fãs nesta cidade americana.

Tudo começou quando os familiares de Miriam Burbank, que morreu no inicio do mês aos 53 anos, pediram para que Miriam estivesse no seu funeral com a pose que a caraterizou ao longo de toda a vida: sentada de óculos escuros, com uma lata de cerveja e um cigarro de mentol na mão.

Depois do funeral de Miriam, Louis Charbonnet, o proprietário da agência funerária que realizou a cerimónia, começou a receber outros pedidos do género e o conceito não só ficou famoso como se tornou uma tendência.

Enquanto os donos de outras agências funerárias condenam este tipo de encenações, Charbonnet tem recebido o apoio de muitas pessoas e até um dos padres locais o elogiou.

Apesar da fama ser recente, o americano já providencia este tipo de serviços desde 2012 e afirma que se sente orgulhoso por conseguir colocar alguma «diversão» neste tipo de cerimónias.