O FBI está a ajudar nas investigações ao avião da companhia aérea da Malásia que está desaparecido há 11 dias, tentando encontrar uma relação entre o desvio do voo MH370 e os dois pilotos.

A Casa Branca confirmou esta quarta-feira que os Estados Unidos se juntaram a outros 25 países que estão a ajudar nas buscas, através das equipas do FBI.

Os investigadores norte-americanos estarão a analisar um simulador de voo que pertencia a um dos pilotos e de onde se suspeita que foram apagados dados.

As autoridades malaias e norte-americanas acreditam que o avião foi desviado da rota, mas ainda não conseguiram provar qualquer relação com os passageiros ou a tripulação.

A investigação ainda não chegou a um motivo, mas a hipótese de ter caído no Oceano Índico vai ganhando força e aumenta a probabilidade de o aparelho não ser encontrado, devido a tratar-se de uma longa área e de um mar muito profundo.

As autoridades acreditam que alguém com conhecimento de aviação comercial e de aparelhos Boeing 777 desligou os sistemas que permitiam que o avião fosse detetado por radares.

O FBI tem agora total acesso aos dados recuperados das casas dos dois pilotos.