Notícia atualizada

O exército israelita anunciou ter retirado todas as tropas Faixa de Gaza, disse um porta-voz esta segunda-feira.

«Todas as nossas forças saíram de Gaza», disse o general Moti Almoz à rádio militar, depois de ter entrado em vigor, às 05:00 TMG (06:00 de Lisboa) um novo cessar-fogo de 72 horas.

Um porta-voz do exército de Israel, Peter Lerner, já tinha explicado que os militares iriam deixar o território e assumir as posições defensivas em volta da Faixa de Gaza durante a nova pausa.

Israelitas e palestinianos acordaram, segunda-feira, o estabelecimento de um novo cessar-fogo, de 72 horas, na Faixa de Gaza, a começar às 05:00 TMG (06:00 de Lisboa) desta terça-feira, tinha revelado um dirigente egípcio.

Gaza: morte de criança quebra cessar-fogo



A 08 de julho, Israel deu início à operação militar «Margem Protetora», com ataques aéreos para responder ao disparo de foguetes palestinianos, a partir da Faixa de Gaza, contra território israelita.

A 17 de julho, o exército israelita começou manobras terrestres para destruir a rede de túneis construída pelo movimento radical palestiniano Hamas, que controla o enclave desde 2006, e é usada para ataques em zonas fronteiriças.

Mais de 1.850 palestinianos morreram em 28 dias de ofensiva. Do lado israelita, morreram 67 pessoas.

Nações Unidas saúda trégua e pede negociações

O Secretário-geral das Nações Unidas saudou a trégua de 72 horas aceite por Israel e Hamas e apelou aos dois lados do conflito o respeito pelo cessar-fogo e manterem a «máxima contenção».

Em comunicado, Ban Ki-moon instou ainda ambas as partes a iniciarem «negociações o mais rapidamente possível no Cairo para chegarem a um cessar-fogo prolongado e abordarem as questões que são a causa» do conflito.

«As Nações Unidas estão prontas a prestar todo o apoio necessário a esses esforços», acrescenta a nota.