O antigo dirigente chinês Bo Xilai rejeitou hoje as acusações de apropriação de cinco milhões de yuan (612.000 euros) desviados de fundos públicos destinados a um projeto classificado.

Numa declaração realizada durante o terceiro dia do julgamento que decorre no Tribunal Intermédio de Jinan, no leste da China, e publicada pelo tribunal na sua conta da rede social Weibo, semelhante ao Twitter, Bo Xilai rejeitou o testemunho contra si por Wang Zhenggang, diretor do Departamento de Planeamento Urbano de Dalian, cidade de que o antigo dirigente comunista foi autarca.

A acusação alega que Bo Xilai se apropriou dos fundos públicos porque necessitava de dinheiro para pagar a educação do filho Bo Guagua, que estudou na escola privada britânica Harrow, e que depois de passar os três primeiros anos universitários em Harvard, estuda atualmente na Columbia University, em Nova Iorque.