O Estado do Missouri, em nome de Chris Koster, ameaça ressuscitar o uso da câmara de gás para os condenados à morte como alternativa à diminuição no fornecimento das drogas letais.

O advogado, Koster, avisou que a menos que o Estado receba indicações do Supremo Tribunal para que possa proceder às execuções acordadas no protocolo das injeções letais, as drogas expiram a validade. Desse modo, a única opção será a câmara de gás, diz o «The Guardian».

Koster pediu, esta semana, ao tribunal que permita a execução de dois condenados à morte, Joseph Paul Franklin e Allen Nicklasson, antes que as doses expirem. «O departamento só tem três quantidades de propofol. Uma expira em outubro, outra em maio de 2014 e a última em 2015», cita o jornal. Neste contexto, Koster disse que a câmara de gás poderá ser «a última opção que temos para implementar a lei de Missouri».

Richard Dieter do Centro de Informaçao de Pena de Morte vê o aviso do advogado Koster como uma jogada política conta do Supremo Tribunal. Dieter acredita que que Koster está a tentar ameaçar voltar aos anos de câmara de gás para pressionar o tribunal a agendar datas para as execuções pendentes, refere o jornal.